11ª FELIS 2017 » NOTÍCIAS » 03/11/2016 - Galeria Trapiche recebe primeira exposição da programação da 10ª FeliS
03/11/2016 - Galeria Trapiche recebe primeira exposição da programação da 10ª FeliS

03/11/2016

Galeria Trapiche recebe primeira exposição da programação da 10ª FeliS

 

História, o retrato da mulher, utilidades, lazer, publicidade de farmácia, tempo e espaço eram os principais assuntos abordados nos almanaques na década de 30. As publicações informavam a população e influenciavam os costumes das pessoas que viveram naquela época. Fazendo um resgate histórico, a exposição Tempo de Almanaque é a primeira atividade da 10ª Feira do Livro que aberta ao público até o dia 16 de dezembro, na Galeria Trapiche, das 9h às 18h, exceto fins de semana e feriados. Visitas mediadas podem ser agendadas pelo telefone 3216-3830 ou pelo e-mail galeriadeartesescma@gmail.com.

"Em mais uma parceria, recebemos a exposição promovida pelo Departamento Nacional do Sesc. A Galeria, como equipamento municipal de cultura, será uma dos espaços com atividades durante os sete dias de FeliS, que será aberta nesta segunda-feira, dia 7 de novembro, promovida pela Prefeitura de São Luís e pelo Sesc. Os almanaques também contam nossa história e a Feira vem com essa proposta de fazer o resgate da história através da arte", destacou Camila Grimaldi, diretora da Galeria Trapiche.

A exposição itinerante percorre o Brasil desde o ano de 2010 com uma coletânea de raridades retiradas do acervo pessoal da escritora e pesquisadora, Yasmin Nadaf – doutora em Literaturas de Língua Portuguesa e pós-doutoranda em Literatura Comparada. Desde pequena, ela coleciona gibis, periódicos, livros e almanaques diversos. A Exposição é estruturada em painéis exibindo capas e páginas de almanaques, bem como reproduções na íntegra.

A técnica de cultura do Sesc, Paula Barros, ressaltou o objetivo da exposição. "É uma mostra de leitura visual e textual que vem reforçar o trabalho expressivo do Sesc na parte de cultura educativa, que é também a proposta da Feira do Livro. A ideia da exposição é que o público conheça a história para que ampliem seus repertórios significativos e consigam ser munidos de informações sobre aqueles que viveram antes de nós e nos influenciaram. A 'Tempo de Almanaque' por ter uma linguagem acessível, pode ser apreciada por todos os públicos".

Nos almanaques continham informações consideradas de utilidade pública como fases da lua, épocas de plantio e remédios para diversos males estavam sempre unidos a passatempos, textos literários, carta dos leitores, entre outros. As publicações eram anuais, distribuídas de forma gratuita e foram responsáveis por popularizar a ciência nos lares brasileiros como prática de lazer para ser ensinada e repetida entre a família.

A professora de arte-educação e artista visual e tátil, Graça Soares, partilhou sua experiência pessoal influenciada pelos almanaques. "Os almanaques marcaram minha vida de diversas formas e é incrível poder reviver esse período através desta exposição, hoje vivemos em uma sociedade imediatista e sinto falta de coisas colecionáveis. Coleciono cartas e outras coisas que vivi na juventude, até meu nome foi influenciado pelos almanaques, minha mãe o escolheu pelo periódico datar o dia de Nossa Senhora das Graças".

10ª FeliS

A 10ª Feira do Livro de São Luís será realizada de 07 a 13 de novembro, na Praia Grande com o tema "Ler a Cidade e suas Memórias". O objetivo do evento é propiciar o maior acesso ao livro, é estimular a formação de novos leitores e incentivar as cadeias produtivas em torno do livro, da mediação da leitura e da economia criativa do livro.

"Esse ano foi um período bastante difícil financeiramente, o país inteiro passa pela maior crise econômica dos últimos tempos. Porém, a Feira ao longo de uma década já se consolidou como um projeto cultural e evento que não somente promove ações durante sete dias de atividades, como também transforma a vida de muitas pessoas por meio do acesso à literatura e as artes em geral. Desta maneira, vamos garantir a realização da Feira que é política pública cultural para a cidade de São Luís e nada melhor do que realizar essa décima edição no Centro Histórico que é patrimônio nosso e precisa ser ocupado, conhecido e apreciado. Com essa ação, conseguimos revitalizar e valorizar este espaço, uma forma de inclusão e interação das pessoas", enfatizou o Secretário Municipal de Cultura, Marlon Botão.

Marlon Botão também destacou que a FeliS envolve mais que âmbito cultural. "A Feira torna-se um convite aos turistas e ludovicences de habitar e conhecer o Centro Histórico de São Luís. É uma forma de valorização do conhecimento e também permite o acesso gratuito a cultura, envolvendo a sociedade civil e fomentando políticas públicas em nossa cidade por meio dos eixos literário, pedagógico, artístico e da comercialização de livros".

A 10ª FeliS homenageará o poeta maranhense Gonçalves Dias – um dos maiores ícones da literatura do país, responsável por consolidar o movimento romântico brasileiro – e conta com uma programação com atividades gratuitas para públicos de todas as faixas etárias, envolvendo a participação direta de escritores, ilustradores, mediadores da leitura e contadores de histórias, artistas, entre outros convidados.