11ª FELIS 2017 » NOTÍCIAS » 17/11/2017 - Escritores maranhenses apontam FeliS como importante canal de divulgação cultural
17/11/2017 - Escritores maranhenses apontam FeliS como importante canal de divulgação cultural

17/11/2017

Escritores maranhenses apontam FeliS como importante canal de divulgação cultural

 

Escritores maranhenses acreditam e apostam no potencial de eventos como a 11ª Feira do Livro de São Luís (FeliS) promovida pela Prefeitura de São Luís em parceria com o governo do Estado para o incremento da produção literária maranhense. Para a presidente da Academia Ludovicense de Letras (ALL), a escritora e poetisa, Dilercy Adler, a grande finalidade das academias e das feiras de livros, como a FeliS, é difundir obras, estimular a leitura e aumentar o quantitativo de leitores e amantes da literatura.

"As crianças e adolescentes pouco leem. Temos que transformar de fato o Maranhão em um estado leitor. A junção dessas duas esferas governamentais – a estadual e municipal - foi de fundamental importância para a realização da Feira", observou Adler.

Para o escritor e membro da Academia Maranhense de Letras (AML), o escritor José Ribamar Ewerton Neto, a FeliS e eventos dessa natureza dinamizam o potencial dos jovens que estão à espera de uma chance, oportunidade, além de propiciar maior conhecimento da sistemática da produção de um livro. "Aqui na FeliS há diversas conversas, diálogos e debates que despertam, aprimoram e catalisam todo esse potencial literário que jovem possui. Então, a Feira é um grande estímulo", ressaltou.

Para o presidente da Academia Caxiense de Letras, Raimundo Medeiros, a FeliS se constitui em um grande evento para o incentivo e incremento da produção literária no Maranhão. "O escritor não tem o hábito de divulgar suas produções. Ele gosta é de escrever. Feiras como a FeliS, sarau e café literários são primordiais para a divulgação dessas obras de autores que muitas vezes são anônimos. Garante visibilidade e mais tempo que pode dedicado para novas produções", assinalou.

Na 11ª Feira do Livro de São Luís (FeliS) foram lançadas 56 obras literárias, sendo 40 de escritores maranhenses. Entre essas, a coletânea de histórias infantis "Fortuna do Céu" de crianças de 8 a 12 anos do Núcleo de Enriquecimento para Estudantes com Características de Altas Habilidades ou Superdotação (NEECAHS), ligado à Secretaria Municipal de Educação (Semed). As histórias abordam vários temas como bullying, tolerância, respeito, lendas, reciclagem, tecnologia, entre outros.

"A Feira do Livro, na sua 11ª edição, já está consolidada como um espaço importante para a literatura de São Luís, que é uma cidade tradicionalmente com vocação literária. É a partir das diversas possibilidades apresentadas na FeliS, trabalhadas nas escolas durante o ano com culminância na Feira, tais como contação de histórias, animação em vídeo, produção de histórias, entre outras, que a criança desperta para a leitura e produção textual e assim, quem sabe, podem ser futuros escritores. Temos o exemplo da coletânea 'Fortuna do Céu', histórias dos estudantes da rede municipal, que revelou vários talentos", afirmou o secretário de Educação de São Luís, Moacir Feitosa, que prestigiou o lançamento do livro de alunos rede de ensino municipal de São Luís.